Cícero Nepomuceno

Sobre o autor: Paulistano, viu a sua adolescência perpassar com um olhar já diferente de muitos à sua época, pois que, muito cedo compartilhava a inclinação poética com a inquietude urbana de mil fazeres. No violão, passou a dedilhar alguns versos próprios e arriscar composições melódicas. Integrou as Bandas “Livres entre Si” e “Licença Poética” emancipando a sua escrita, na qual rendeu a publicação de um livreto independente chamado “Labutaria – Poesia Sonora”.

Adentrou saraus, apresentou sua arte e se valendo das redes sociais, passou a publicar poemetos e versos avulsos registrando ali seus sentimentos de supetão. Assim surgiram os elementos necessários para contextualizar o livro “Se7e Pecados Tropicais”.

Mais que “Se7e”, mais que “Pecados”, este seu coração “Tropical” ainda há de desbravar outros universos nessa caminhada literária e nos presentear com muito mais!!

Sobre a obra: Inveja, Ira, Luxúria. Os pecados capitais deixam de ser dor e punição quando revistos pelos olhos contemporâneos dos “Se7e Pecados Tropicais”. Essa obra profunda e cheia de significados reforça que não há limite para a expressão artística verdadeira. Desafiando velhos conceitos, o livro nos convida a olhar com atenção para a vida corriqueira e a pensar sobre os pecados já conhecidos, mas que ainda despercebemos: Fuga, Corrupção, Rotina, Apego, Abandono, Julgamento e Culpa. As lindíssimas poesias abordam esses grandes temas em suas essências, tocando o coração dos leitores e concluindo que “talvez” o grande pecado seja acreditar na própria existência do pecado.