Elias Araújo

Sobre o livro: “Talvez não o saiba o leitor, mas Elias Araújo, o autor deste romance, é um poeta talentoso: Todos os pecados é sua obra de estreia no gênero. Para além do drama familiar, este romance enreda um drama humano. Uma história de meninos junto ao pai, ao genitor. Mas, nesta prosa, honesta em forma e em conteúdo, não há infância. Há, sim, um aguardar. Como quem aguarda uma promessa a ser cumprida, quem aguarda a recompensa.” (Assis Furtado)

Elias Araújo viabiliza em seu romance Todos os Pecados a concepção da religião servindo de condutor para a exploração dos grandes dramas da vida, na fluência de personagens dotadas de grande capacidade de amar, e de nunca perderem a fé em Deus. Sua mensagem é transmitida imparcialmente, e com verdadeira autonomia sendo que este livro não se trata de uma obra religiosa, sendo objeto puramente literário e tendo nisto seu mérito maior.

Sobre o autor: “Meu nome é Elias Araújo Só. Na verdade é só Elias Araújo. Mas a todo lugar que eu vou e digo meu nome as pessoas me olham esperando mais. E perguntam: ‘Só?’ Eu respondo: Só Elias Araújo. Sem nome artístico, nem nada mais. Nasci em Américo Brasiliense, interior de São Paulo: é uma cidade pequena, repleta de migrantes por causa das usinas açucareiras da região. Ela é o palco do meu segundo romance, ainda não publicado. É onde moro até hoje, não sinto vontade de sair de lá, embora eu costume dizer que vou lá só para dormir. Porque trabalho o dia todo na vizinha Araraquara, de onde sei mais coisas do que da minha própria cidade. Sou professor de Educação Infantil graças à minha mãe, que me tirou da sina dos meninos muito pobres daquela época: cortar cana. Trabalho numa creche de periferia, onde certamente vou me aposentar, já que é meu segundo lar. Embora trabalhe com crianças pequenas, escrevo muito pouca literatura infantil: meu forte mesmo é contar dramas familiares envolvendo paixões de gente grande. Apesar disso, já entrei duas vezes consecutivas na coletânea do Prêmio Monteiro Lobato, do SESC-DF. Atualmente estou mais focado nos romances, mas aspirante a escritor é fogo: acha que pode escrever de tudo. Bom, eu tento, né?! Já escrevi poesias, contos, crônicas: em todos já fui premiado algumas vezes, o que me animou a continuar; afinal, é como ver uma luz no fim do túnel. Não sei se interessa para alguém, mas aqui estão algumas das premiações que obtive em concursos literários e que me valeram muito como experiência nessa área, já que o escritor iniciante pode, em parte, avaliar seus textos: 6º lugar Prêmio Cataratas 2006 e 2008; 1º lugar Festival de Contos de Santa Lúcia; 2° lugar Prêmio Cora Coralina Contos 2009; 8° lugar contos Academia Campista de Letras; 3° lugar prêmio Sérgio Farina; 1° lugar Poesia Academia de Letras de São João da Boa Vista; finalista do Prêmio SESC/DF conto infantil 2009 e 2010; 1º lugar Concurso de Poesia Cria Literária; 1º lugar Concurso de Conto SESC-AM; 3º lugar no Festival de Poesia Falada de São Fidélis; 1º lugar no 7º Concurso Literário “Acrísio de Camargo”; 2º lugar no XXXIV Concurso Literário Felippe D’Oliveira; 1º lugar Conto Academia de Letras de São João da Boa Vista 2012 e 2014.”