Lucas Walker

LUCAS WALKER

O escritor LUCAS WALKER, jovem natural de Ponta Grossa no Paraná, teve seu talento revelado pela Editora Kazuá com seu primeiro livro, ‘Ame! Se não der, SONHE’, de poesias visuais. Agora, em sua segunda publicação, Lucas expande sobre a obra começada: versos e frases sobre as dores do sentir, sobre o desejo de amar sem culpa.

São palavras escorregadias e pensamentos incansáveis, vivendo no peito frágil do poeta, faminto pelo desconhecido. Suas paixões dançam em comemoração quando um amor aparece, e quando esse se vai, despencam poemas do telhado. O que pode, ou deve ser o amor, se não um desfiladeiro desconhecido, embriagado de incertezas?

Nas palavras do escritor Lucas Walker: “Observo tudo à minha volta. Tento pegar a essência de todos e escrever sobre temas como a briga no canto do bar, o ciúmes no balcão, o ‘eu te amo’ com um abraço, entre outras situações. O amor é algo simples e construtivo. Nós é que complicamos, colocamos regras, deveres, e causamos brigas que fazem os dias parecerem anos.”

——–

Sobre a Obra:

UNI VERSOS PESSOAIS de Lucas Walker apresenta um jogo poético de ponderações sobre vivencias pessoais, dialogando e impulsionando o leitor a emergir do poço da subjetividade ferida, onde o humano reflete e amarga a dor da incompreensão de seus sentimentos. Cada verso é sempre uma experimentação contínua, para sobreviver à selva de emoções cotidianas, frente à perenidade da investigação por qualquer coisa além das nossas crenças.

A ideia de uma poesia-síntese, curta por essência de seus temas, não é nova. Vem desde as pequenas trovas medievais e dos antiquíssimos haicai, até atingir o seu auge durante a Belle Époque francesa, atualizando-se em Uni versos. A busca que revela a nobreza das passagens mais triviais ao ser humano, apresenta seus elos na leitura translúcida e aberta, que propõe desnudar a alma e reaver sentidos. Um Uni verso a mostrar na poesia a medida quase exata das amarguras e perspectivas frustradas que o mundo contemporâneo nos outorga.