Mara de Aquino

Sobre o Livro: Uma coisa dentre várias logo nos coloca diante da poesia de Mara de Aquino: ela é humana e, sobre todos outros pretextos possíveis, para a poesia, basta-lhe apenas ser. O resto é estilhaço da nossa condição de viventes, outra espécie de predadores. O que poderemos encontrar dentro de uma obra em que apenas “coisas” nos sugere o título?  Qual é a “coisa”, fundamentalmente? E nos importam as coisas? Essas inquietações, típicas de uma poetisa dos olhos horizontais, sugerem o lado humano cáustico. O caos não é apenas a tempestade, é também a ternura. É sobre o “Homem-Coisa” que fala essa poesia sarcástica e mordaz. Essa “coisa” que nos deixamos ser, na fúria dos tempos da carne… A poetisa fartou-se de tudo, mas ainda quer se encontrar num mundo em que os negócios fazem os homens, não o contrário. A discussão de problemas atuais não só revela a sensibilidade de Mara, mas o poder materno e a globalidade. Enfatiza ao máximo que a poesia não tem lugar: a fronteira foi inventada no mapa. A alma tranquila que escreve essas poesias não se compara à tempestade que nos evade ao ler seus versos. Tudo tem efeito contrário quando lemos Sobre Coisas. E, nessa tranquilidade, Mara de Aquino pode dizer o que vem da alma sem temer a dor e a lágrima. Ela não suaviza, nem sossega. O sossego é o ofício de não ser. Entendemos, por meio de suas poesias, que estamos à procura da cura da morte. Porém, na verdade, falta-nos primeiro a cura da vida.

Sobre o Autor: A cantora, compositora, jornalista e escritora mineira Mara de Aquino, atua nas áreas de roteiro, dramaturgia, comunicação, poesia, gestão cultural, pesquisa musical e shows. Com alguns livros de poesia e dois romances inéditos, foi finalista em concursos literários, dentre eles o Cidade de Belo Horizonte/MG e o Carlos Drummond de Andrade/RJ. Atualmente lança seu primeiro livro de poesia, Sobre Coisas na editora Kazuá/SP, estando na pré-produção do novo projeto de CD-Livro e Show “O Diamante em Flor”, pastoril urbano sobre o mito de fundação do Estado de Minas Gerais.

botao-voltar