Marcos Vieira

Sobre o autor: Nascido, criado e radicado na periferia de São Paulo, Marcos Vieira é, assim como todo grande cronista das idiossincrasias cotidianas, um exímio observador dos costumes da sua gente. Nascido em março de 85, iniciou a sua caminhada às letras ainda garoto, atuando em projetos sociais. Norteado por professores, mergulhou na literatura tornando-se íntimo dos livros. Formou-se Cinema e Letras, e sagrou-se literato pela prática do ofício de escritor por meio de seu blog.

Em Manual de sobrevivência no Metrô, o autor reúne as experiências desse laboratório e apresenta ao público a conclusão de um minucioso trabalho de observação das peculiaridades e trejeitos desta gente que chacoalha pelas linhas de metal.

Yuri Dinalli 

Sobre a obra: 

Ao lermos Manual de Sobrevivência no Metrô, estamos diante de uma primeira provocação: a palavra manual nos remete a algo técnico, de base científica. Aqui, o manual possui outros ares semânticos: é um mergulho profundo no microcotidiano das relações humanas de base pós-moderna. O livro, em estilo rápido, fluido, em que a simplicidade ajeita-se como uma qualidade de estilo entremeando a crônica e o jornalismo. Indo além, nesse dinamismo narrativo encontramos reflexões de base metafísica, ou seja, o intercâmbio de ideias entre as personagens proporcionam momentos caros de reflexão existencial.

Os capítulos aqui são divididos espacialmente, tomando como referência as próprias estações de Metrô. O curioso se faz, pois apesar dos capítulos não possuírem um núcleo narrativo linear, a história se condensa pelo fio condutor do espaço da locomotiva da cidade. Adentre-se nessa sobrevivência narrativa e boa viagem!

Edner Morelli