Ramiro Oliveira do Rego Barros

RAMIRO OLIVEIRA DO REGO BARROS

A obra de Ramiro Oliveira do Rego Barros é ambientada nas cidades do Recife e Olinda do século XIX. Em seu “O Areópago” o autor recria a rotina dos acadêmicos frequentadores do Curso Jurídico de Olinda, fundado em 1825 pelo Imperador D. Pedro I e depois convertido na Faculdade de Direito do Recife.

Ardem as brasas da Revolução Praieira de 1848 no fértil solo pernambucano. Um grupo de jovens intelectuais reune-se para discutir artes e filosofia em meio a uma sociedade provinciana e escravocrata. Em uma época de transformações políticas, sociais e urbanísticas, as aventuras do Marquês da Casaforte, seus companheiros e desafetos, revelam o contexto histórico reproduzido nos detalhes do cotidiano urbano.

O enredo dinâmico flui entre as aulas no velho Mosteiro de São Bento, noitadas em tabernas, duelos ‘à ponta nua’, serenatas fluviais no Capibaribe e espetáculos cênicos no teatro estudantil. Uma verdadeira ode à amizade e ao companheirismo.