MONTA-pags-NA-02

As palavras de Anastácia

autores-negra-anastaciaO primeiro livro finalizado por Negra Anastácia e seus ajudantes foi Poema Preta.
Foram confeccionados exemplares artesanais, utilizando papel reciclado, que finalmente eram colocados em sacos de pano.

Os escritos seguintes chegaram aleatoriamente e sem tema ou ordem específica, foram reunidos nos livros: Ilustre, Eu sou o que rezo pra mim e Vozes de N.A. O título O mar é quando mergulho apresenta uma composição de poemas que versam sobre a água. A Editora Kazuá reuniu estas publicações em um box comemorativo contendo as cinco primeiras obras de Negra Anastácia, numa justa homenagem a sua autora memorável. O lançamento deste box coincide com a inauguração da Usina da Alegria Planetária e sua proposta de coletivo criativo e formaliza a existência da Kazuá no mercado literário.

A poética de Anastácia provoca uma reflexão sobre a vida, a posição da mulher na sociedade e sobre a vaidade humana. A autora assevera que “geralmente, a hipocrisia não quer ouvir” e desafia o leitor a passar pelos seus versos. Negra Anastácia estimula comportamentos diversos diante de sua obra, sem sustentar rótulos ou espaço definido nas prateleiras. Tentar classificar seus escritos é inútil e desnecessário, mas podemos dizer que seus poemas estão distantes de falsos otimismos e do romantismo poético. Chega a ter participação significativa no dia a dia de alguns leitores que usam seus livros como oráculo. Negra Anastácia segue com sua escrita intensa, iluminando caminhos a partir do verbo de sua poesia incorporada. Ela dita seus versos e liberta sua palavra!

Conheça alguns versos de nossa poeta:

Saiba mais sobre a peculiar autora e compre seus livros!