VEM AÍ… Judite Canha Fernandes

11/12/2017

Numa pré-histórica convulsão, Judite Canha Fernandes, nasceu no Funchal em 1971 (depois foi viver para os Açores, em 1979), em Portugal. É performer, feminista, curinga do teatro do oprimido e das oprimidas, escritora, bibliotecária, mãe, ativista, investigadora, fazedora de orgasmos, sem preferência particular por uma ou outra Judite.

Dedica-se agora aos estudos literários e à descoberta do tamanho da terra. É autora de Cal (banda desenhada, com Luís Roque, 2003-2006); Abraçando o lastro e Penumbr@ (poesia, 2008) – Prémio Labjovem, O complexo das fadas (conto, 2008); M. a sede dos outros (teatro, 2011); Bemóis e bicharocos (literatura para as infâncias, com Teresa Gentil, 2012); Um passo para sul (romance, inédito, 2015) – Prémio Criar Lusofonia; Laura (poesia, 2016) – Antologia Luso-Brasileira Ruth Campos; O mais difícil do capitalismo é encontrar o sítio onde pôr as bombas (Editora Urutau, poesia, 2017).

A coletânea de contos Curtíssimas foi a obra vencedora do Prêmio Tatu de Contos e Crônicas do I Concurso Nacional de Criação Literária. Em breve, pela Editora Kazuá