KAZUÁ DIVULGA: Conheça melhor o trabalho do poeta João Gabriel Madeira Pontes

28/06/2017

O autor da Kazuá João Gabriel Madeira Pontes possui diversos trabalhos publicados em outros sites voltados para a divulgação literária. Poeta desde os 14 anos, João possui um processo de criação que se inicia de maneira eminentemente intuitiva. Tudo nasce da íntima percepção de que certo tema o incomoda. A partir daí, surge a vontade, quase febril, quase fisiológica, de passar esse “tudo”, que é uma abstração de fontes e de experiências, para o papel.

Como forma de expressar essa inquietação, o poeta produz de maneira inevitável e incessante, divulgando os textos e ensaios poéticos em sites e revistas literárias. A Editora Kazuá valoriza outros trabalhos realizados por seus autores e autoras, online ou em outras publicações.

Uma dessas publicações é a revista virtual Mallarmargens, que abre espaço para textos autorais desde 2012, e inseriu em suas páginas o poema “entre certos instantes de brahms e uma cloaca, VII”, no final do ano passado.

Confira o texto na íntegra no site da Mallarmargens 

Pela Diversos Afins, há mais de 10 anos nas redes com o objetivo de “desengavetar expressões”, João Gabriel publicou “Copérnico”, “Apocalíptica”, “Relógios” e entre certos instantes de brahms e uma cloaca, III”. 

Confira os quatro poemas na página da Diversos Afins

A Revista Garupa, criada em 2014 por moradores das zonas oeste e norte do Rio de Janeiro, também publicou alguns dos poemas de João em sua revista “edição seis – quadra 9”, de fevereiro de 2017. Os textos escolhidos foram “Livre interpretação de uma gravura de Hans Staden”, “entre certos instantes de brahms e uma cloaca, V” “entre certos instantes de brahms e uma cloaca, VII”.

Confira a publicação no site da revista Garupa

O blog de publicações abastecido de maneira colaborativa Enfermaria6 também se interessou pelos versos do autor da Kazuá e divulgou as poesias “entre certos instantes de brahms e uma cloaca, III”, “Copérnico” e “Radar”, em janeiro de 2017e a coletânea”Rebanhos rebeldes”; “Relógios”; “Teologia para peixes” e “Meditações metalinguísticas” em fevereiro deste ano.

Pela Kazuá, João Gabriel publicou o livro de coletânea de poemas, Indiscrição, em cujas páginas estão traduzidas algumas das principais preocupações do autor: da influência que a passagem inexorável do tempo exerce sobre os homens à necessidade de se encarar toda expressão artística como uma manifestação de revolta, de inconformidade, vez que arte é, sobretudo, sedição.

O livro Indiscrição está disponível para compra pela loja virtual da Kazuá