KAZUÁ REGISTRA: Lançamento de ‘François’, com tradução de Liliane Mendonça, na Aliança Francesa

02/10/2017

O lançamento do livro François, o menino abandonado, publicado pela Editora Kazuá, aconteceu em Curitiba no dia 21 de setembro de 2017, na Aliança Francesa, espaço Café Babette. O evento começou às 17 horas com a presença da tradutora, Liliane Mendonça, da prefaciadora Lúcia Peixoto Cherem e do fotógrafo Matias Dala Stella, encarregado de registrar momentos marcantes da soirée.

Os convidados puderam apreciar uma bancada repleta de livros de George Sand, e contagiar-se com a magia de sua obra! Muitas pessoas se surpreenderam ao ver tantos títulos, e nem estavam lá todos os que ela escreveu.

A seguir tivemos um belíssimo concerto ao piano com músicas de Chopin, companheiro de George Sand durante nove anos. O pianista Guilherme Amaral encantou a todos ao descrever cada obra escolhida para o evento antes da sua apaixonada execução.

Para finalizar, aconteceu um debate sobre o romance François, o menino abandonado entre as pessoas que o haviam lido antes. O debate foi coordenado por Marcelo Almeida que, em parceria com a Aliança Francesa, foi responsável por distribuir o livro com até sessenta dias de antecedência entre as pessoas que quisessem participar do evento.

Essa etapa foi surpreendente e muito gratificante! Saber a opinião dos leitores no momento do lançamento do livro ajudou a fazer do certame um momento mágico.

Algumas pessoas que expressaram suas opiniões durante o debate leram aos presentes trechos do livro que as encantaram. Dentre estes, vou destacar o que Marcelo Almeida leu:

“Ouvindo Madeleine, François pensava que ela estava certa, como tinha o hábito de acreditar. Levantou para dizer boa noite, e ir; mas pegando na mão dela, pela primeira vez na vida, a olhou com a ideia de que fosse velha e feia. A verdade é que, mesmo sendo sábia e triste, ela tinha uma ideia errada de si mesma, pois ainda era tão bonita quanto antes.

Então, de repente, François a viu jovem e a achou linda como Nossa Senhora, e seu coração pulou como se ele tivesse subido no topo de uma torre. Foi deitar em seu moinho onde tinha a cama bem limpa entre um quadrado de tábuas, cercado por sacos de farinha. E quando estava lá sozinho, começou a tremer e sufocar como se estivesse com febre. Sim, estava doente de amor, e sentia-se ferver, pela primeira vez, por uma grande explosão de chamas, tendo a vida inteira aquecido seu coração suavemente sob cinzas.”.


CONFIRA MAIS FOTOS DO EVENTO! (por: Matias Dala Stella)